4/12/2008

Experiência fala mais alto

30 anos de categoria fazem com que Ingo Hoffmann conquiste a primeira pole da temporada...


- Quase todo mundo vai achar algo que justifique a pole position de Ingo Hoffmann, e todos os motivos apresentados em algum momento recairão sobre a experiência do mais velho competidor da Stock Car brasileira. E a experiência geralmente aparece no momento de grandes mudanças... como hoje.

- Mudou tudo no classificatório da Stock. O primeiro treino agora só tem meia hora e só os melhores 15 colocados vão para a segunda fase, que classifica apenas 6 para a Superpole (que alguns já chamam de "Q3", nomenclatura utilizada na Fórmula-1). A diferença são os "matchs" que definem os 3 melhores colocados. 1º contra 6º, 2º contra 5º e 3º contra 4º, os dois pilotos na pista, largando parados no grid para duas voltas. Os vencedores desses matchs largam nas três primeiras posições, que são definidas pela soma das duas voltas, mesmo sistema que define 4º à 6º, os perdedores. Difícil... não na prática.

- O sistema se mostrou divertido, em especial no embate entre Thiago Camilo e Cacá Bueno, que duelaram durante toda a volta, fato que atrapalhou a volta dos dois. Camilo venceu.

- Na seqüência Marcos Gomes e Antonio Jorge Neto foram para a pista e Marcos Gomes venceu tranquilamente. Porém todos se perguntavam porque a primeira volta dele não havia sido registrada. A explicação veio à seguir: Ele queimou a largada e larga em 6º. Depois Gomes afirmou ter sido pego de surpresa por nunca ter largado parado na Stock, o que o fez deixar o carro andar antes da partida.

- O embate final ficou entre Ricardo Maurício e Ingo Hoffmann. No grid Maurício tinha a melhor posição e a preferência no "S" do Senna por ter feito o melhor tempo, mas quem se deu melhor foi Ingo, que pulou tranquilamente à frente na largada por conseguir tracionar melhor. "Eu ensaiei quando saí dos boxes, mas errei meu ensaio, isso me possibilitou corrigir o erro no momento que valia à sério, eu tracionei melhor". Venceu o "match", fez a melhor volta e larga na pole position depois de 6 anos. Merecido, ele estudou o que faria no momento da volta. Antes ele havia criticado o novo sistema, após ter conquistado e pole só elogios.

- Perguntei a ele se a largada parada, uma das coisas que mais chamou atenção de todos em Interlagos, poderia servir de laboratório para que a partida das corridas seja assim: "Não, não tem como pois os carros as vezes demoram mais de 1 minuto para alinhar no pit, isso faria com que os primeiros colocados (que alinham primeiro) ficassem muito tempo parados e os carros de Stock tem sérios problemas de aquecimento. Uma explicação mais do que justa.

- A reclamação do dia ficou por conta de Cacá Bueno: "Vamos fazer uma gincana então, quem descer mais rápido de rapel é pole. Ou então façamos dois times de 8 jogadores e decidimos no futebol". Sejamos justos, o bicampeão foi crítico do novo sistema desde o início.

Grid de Largada: Stock Car V8 - 1ª Etapa (SP)

1º) Ingo Hoffmann (ML, SP), 2 voltas em 3:27.208 (média de 149.72 km/h)
2º) Thiago Camilo (CA, SP), a 0.502
3º) Antonio Jorge Neto (ML, SP), a 0.469
4º) Ricardo Mauricio (P3, SP), a
5º) Cacá Bueno (ML, RJ), a
6º) Marcos Gomes (CA, SP), DQ

7º) Guto Negrão (CA, SP), 1:40.767
8º) Luciano Burti (P3, SP), 1:40.895
9º) Atila Abreu (P3, SP), 1:41.013
10º) Pedro Gomes (P3, SP), 1:41.057
11º) David Muffato (P3, PR), 1:41.068
12º) Daniel Serra (CA, SP), 1:41.075
13º) Popó Bueno (CA, RJ), 1:41.108
14º) Valdeno Brito (CA, PB), 1:41.275
15º) Nonô Figueiredo (ML, SP), 1:41.344

16º) Hoover Orsi (CA, MS), 1:41.107
17º) William Starostik (P3, SP), 1:41.113
18º) Lico Kaesemodel (ML, PR), 1:41.131
19º) Giuliano Losacco (P3, SP), 1:41.189
20º) Duda Pamplona (ML, RJ), 1:41.202
21º) Tarso Marques (P3, PR), 1:41.211
22º) Alceu Feldmann (CA, PR), 1:41.218
23º) Rodrigo Sperafico (ML, PR), 1:41.311
24º) Ricardo Zonta (P3, PR), 1:41.327
25º) Juliano Moro (CA, RS), 1:41.375
26º) Felipe Maluhy (ML, SP), 1:41.395
27º) Allam Khodair (CA, SP), 1:41.417
28º) Thiago Marques (P3, PR), 1:41.492
29º) Norberto Gresse (P3, SP), 1:41.608
30º) Ricardo Sperafico (P3, PR), 1:41.679
31º) Antonio Pizzonia (P3, AM), 1:41.762
32º) Carlos Alves (ML, SP), 1:41.763
33º) Thiago Medeiros (ML, SP), 1:41.830
34º) Andre Bragantini (P3, SP), 1:41.849

De olho:


- Observe a imagem acima, se preferir clique para ampliar. O traçado do circuito estampado na camiseta é o do antigo Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, mas a camiseta descreve como sendo "Brasilia-DF". Agora observe ao fundo e veja o banner da Stock Car ao fundo. A "raridade" foi encontrada hoje na loja oficial de produtos da categoria, em Interlagos. A foto é um clique meu mesmo, que não pude resistir.

Imagens: Bruno Terena (Ingo) e Mundo Veloz (camiseta)
Fonte dos tempos: www.cronomap.com.br


2 comentários:

Loucos por F-1 disse...

O Ingo é um veterano que merece muito respeito no munda da velocidade. Afinal são 30 anos de carreira né. Não gostei da nova forma de classificação.

Mandou bem na foto Carlos. Mancada do pessoal que fez a camisa, muito maneiro...hahahaha

Abraço!

Leandro Montianele

Ron Groo disse...

Que pena quebrou a unica parte do carro que era inquebravel... O Diferencial.
O Alemão merecia mais...
Mas foi uma bela corrida