3/07/2008

Guia da Fórmula-1 - Honda

Se existe uma equipe que não tem o direito de errar novamente, essa é a Honda...

(Clique na capa para baixar e ampliar)

Modelo:RA 108
Motor:
Honda
Responsável: Ross Brawn
País:
Japão

Status: Equipe média
Em 2007:
8º lugar, 6 pontos.


Em 2007: A temporada passada foi a pior da história da equipe, em um ano em que os investimentos realizados causaram grandes expectativas. Rubens Barrichello e Jenson Button amargaram as últimas filas de grids e sofreram também com o péssimo ritmo de prova apresentado pelo RA107. Mais que isso, Rubens Barrichello perdeu completamente a vontade de ser competitivo e apenas Jenson Button reuniu alguns poucos esforços que renderam os únicos 6 pontos do time no ano.


Expectativas: A Honda não espera que esse seja um ano de vitórias, e nem pode. O principal é recuperar a confiança de todos dentro do time e isso só será alcançado caso o carro ande comumente entre os pontos. A tarefa pode até não ser fácil, mas dada a estrutura da montadora e a chegada de Ross Brawn para comandar o time é completamente possível de ser alcançada.

Ponto Positivo: A estrutura é grande, bem como o orçamento, que também deve contar com parte do que era destinado à Super Aguri. Aliado a isso a chegada de Ross Brawn à equipe deve mexer com os brios de todos aqueles que tanto sofreram em 2007. Seu entrosamento com Rubens também pode ajudar.

Ponto Negativo: Os primeiros resultados obtidos na pré-temporada indicam que o carro não parece ter nascido bem. É possível que a equipe estivesse escondendo o jogo, mas talvez não seja só isso.

PILOTOS

16-JENSON BUTTON

País: Inglaterra
Nascimento: 19/01/1980
Altura: 1,82 m
Peso: 69 Kg
Corridas: 135
Vitórias: 1
Poles: 3
Pontos: 229
Melhores Voltas: 0
Em 2007: 15º, 6 pontos.


Expectativa: Button tentou mudar diversas vezes de equipe para tentar fazer parte de times mais fortes em determinados momentos. Ano passado, mesmo com a derrocada da Honda, ele não cogitou em momento algum a saída do time. Foi paciente, mas agora ele espera que possa vencer corridas em 2009, caso contrário pula fora. Button perder algo muito importante que é a esperança dos torcedores ingleses em seu talento, algo que ele almeja recuperar. Não será em 2009.

Ponto Positivo: Button é um conservador dentro das pistas. Com um bom carro nas mãos ele já provou ter bom ritmo de corrida e ser capaz de vencer provas. É um bom piloto constante e que não oscila muito entre uma corrida e outra.

Ponto Negativo: Assim como seu companheiro de equipe ele já não parece tão motivado quanto antes.

17-RUBENS BARRICHELLO

País: Brasil
Nascimento: 23/05/1972
Altura:
1,72 m

Peso:
71 kg

Corridas:
249

Vitórias:
9

Poles:
13

Pontos:
519

Melhores Voltas:
15

Em 2006:
20º, 0 ponto.



Expectativa: Desde 1993 na Fórmula-1, Rubens Barrichello é o piloto mais experiente da categoria. Duas vezes vice-campeão, nove vitórias no currículo, 6 anos como piloto da Ferrari são números que impressionam qualquer um, menos o próprio Barrichello. Seu grande sonho é conquistar um dia um título mundial e, por saber que não teria chance em outra equipe, ele diz acreditar que pode conquistá-lo pela Honda. Dia 22 de junho, no Grande Prêmio da França ele se tornará o piloto com o maior número de largadas na história da categoria. Tudo que almeja é não parar de escrever essa história. Será difícil, infelizmente esse talvez seja o último ano do brasileiro na Fórmula-1.

Ponto Positivo: Experiência ele tem de sobra, é um ótimo acertador de carros e, embora não como antes, ele continua sendo muito veloz. Todos esses predicados podem ser muito úteis à Honda e à Ross Brawn, seu novo/velho chefe.

Ponto Negativo: Será a 16ª temporada de Barrichello na Fórmula-1. Infelizmente a idade chega para todos que lá estão e com esse bônus, o ônus da perda física vem de brinde. Mais que tudo isso, ele convive com a dúvida dos envolvidos com a Fórmula-1 e com o desânimo da possibilidade da Honda não ter construído mais uma vez um bom carro.

Fotos: Divulgação
Arte: Mundo Veloz

2 comentários:

Ron Groo disse...

Eu ja falei tão mal desta equipe que acho que vou falar sério agora.
Não acredito que os japoneses vão errar por dois anos seguidos. Não é do perfil deles. Só que o Rubinho poderia ajudar mais né?
Cê gosta de Roberto Carlos, olha no blog amanha 8/3 ao meio dia. me da uma honra?

Felipe Maciel disse...

Putz, vou ter que discordar do Groo, pra mim os japoneses só erram na F-1, o único que dá uma dentro é o Aguri Suzuki, que talvez nem termine a temporada...