7/23/2008

Bem me KERS, mal me KERS

Novo sistema é seguro? é eficiente? vale a pena? funciona?


- Nos últimos 3 dias, com os testes que a Fórmula-1 esté realizando em Jerez de La Frontera, só se fala no KERS, sistema que a partir da temporada 2009 utilizará a carga de energia que é desperdiçada na frenagem dos carros para alimentar uma bateria interna que por sua vez devolverá essa energia ao motor dos carros, o que gerará potência extra.

- E o sistema está na berlinda antes mesmo de ser lançado. Na terça feira a BMW optou por abortar seus treinos da semana por conta de um acidente com um mecânico que, ao encostar no carro, levou um choque que o mandou para o hospital. O funcionário passa bem.

- Teoria interessante foi apresentada pela Toyota no dia seguinte. A escuderia afirma que há muito pouco tempo para testar o equipamento e não garante que até o início da temporada o objetivo proposto com o KERS possa ser atingido. Ross Brawn, diretor técnico da Honda acredita que o sistema sequer dá bons ganhos de performance aos bólidos por enquanto. Ambos reconhecem porém sua importância e que ainda existe a possibilidade de evolução.

- O KERS é uma interessante sacada. Cada vez mais as montadoras procuram alternativas para baixar a emissão de poluentes em seus carros. Tudo aquilo que se possa gerar energia sem que para isso seja necessário o uso dos combustíveis à base, principalmente, de petróleo precisa ser aproveitado. Por ora o KERS não deve garantir nada muito grande nem aos carros de Fórmula-1, mas a categoria sempre foi o grande campo de estudos dos engenheiros e as tecnologias la criadas sempre chegam aos nossos carros de rua. O planeta agradece.

- Porém... nada que se faz com pressa costuma dar certo e esse parece ser um passo importante demais para ser jogado para escanteio. E quando, como todo equipamento elétrico, uma dessas peças apresentar problemas? O piloto que passar por isso pode dar adeus à corrida.

- Os envolvidos com a categoria estão divididos quanto à sua utilização e até céticos quanto à sua necessidade e funcionalidade. Com o devido perdão do trocadilho, parece que os ouço dizer: "Bem me KERS, mal me KERS".

6 comentários:

Grünwald disse...

Que trocadalho, hein?

Abraços...

Ron Groo disse...

Sei não, este Kers ai...
Vai ser legal para a McLata que possivelmente vai vender o Kers para as outras equipes como já vende as centralinas...
Ai acho que só eles Kers esta porcaria. (pessimo)

Priscilla Bar disse...

Hahaha..adorei o título...

Acho que deveria esperar um pouquinho mais pra utilizar o Kers,as equipes nao estao de acordo com algumas coisas ainda,pra nao dar confusao e pra que nao percam tempo com uma coisa que ainda nao tem certeza,melhor esperar...

Anônimo disse...

Acredito que todas iniciativas de desenvolvimento que possam melhorar nossas vidas são úteis. No caso da F-1 o mais correto é deixar a tecnologia correr solta, pois quem desenvolve algo novo, no primeiro momento, há um desequlíbrio e ganho de performance em relação aos demais. Isso força as outras equipes a investir e "correr" atrás do prejuízo, como num livre mercado.
Dessa forma pode-se avaliar um cenário de desenvolvimento de altíssimo grau de tecnolgia e com grandes possbilidades de inovações e benefícios para a humanidade.
Abraços
Elisandro Philippsen

simaosimao disse...

muito legal a postagem do ron groo, parabéns, também acho q eles
kers inventar moda

nirlando disse...

Salvo erro, a revolução q fizeram no pistão do motor qnd proibiram o uso do turbo tambem foi conseiderado modinha, hoje ele é, basicamente, o responsavel pelos 300 km/h dos F1