3/16/2008

Hamilton sobrevive ao caos

7 carros chegam ao final da prova que tem o inglês Lewis Hamilton como vencedor... Ferrari vai mal, Barrichello bem, mas é desclassificado...


- Após sobreviver ao caos de três provas no último ano (Montreal, Nurburgring e Fuji), a Fórmula-1 se especializou em momentos especiais e inesquecíveis como estes. Na primeira corrida da nova era sem controle de tração apenas 7 carros chegam ao final de um Grande Prêmio da Austrália que teve Lewis Hamilton como vencedor e algumas boas surpresas.

- E não há muito o que comentar sobre a atuação de Hamilton, apenas que largou na pole position e fez volta mais rápida atrás de volta mais rápida abrindo espaço para parar tranquilamente nos boxes e se dar bem mesmo com as 3 entradas de Safety Car na pista devido à bagunça generalizada que se instalou na prova. Apenas quem não teve nenhum envolvimento em algum incidente foram os três pilotos que fizeram o pódio. Atrás de Hamilton Nick Heidfeld, constante o tempo todo e Nico Rosberg, idem.

O que foi o caos:

- Logo na primeira volta 5 pilotos deram adeus à primeira prova do ano. Giancarlo Fisichella, acertado por algum "kamizake" como disse o próprio, o bom alemão Sebastian Vettel, que perdeu velocidade na largada e acertou Button, outro à abandonar a prova de cara, Anthony Davidson, que também se envolveu, bem como Mark Webber.

- Ainda na primeira volta Felipe Massa errou ao tentar ultrapassar Heikki Kovalainen e acelerar demais na segunda perna do "S" inicial. O brasileiro parece ter feito como se tivesse ainda o controle de tração. Com o Safety Car na pista ele precisou trocar o bico pois bateu de frente na barreira de pneus, sem força porém, o que não o tirou da prova.

A primeira perna:

- Lewis Hamilton sobrou com relação ao resto. Volta mais rápida atrás de volta mais rápida a ponto de em sua primeira parada ter mais de 14 segundo para o segundo colocado Heikki Kovaçainen (Kubica já havia parado).

- A grande disputa inicial se concentrou em Rubens Barrichello se defendendo dos ataques fortes e Kimi Raikkonen que se recuperava muito bem. A ultrapassagem aconteceu na volta 18, valendo no momento a 6ª posição. Quando as demais paradas no pit começaram Raikkonen chegou a andar em terceiro e Barrichello em quarto com as duas McLarens à frente.

O segundo Safety Car:

- Na volta 25 um dos momentos mais polêmicos da prova. Felipe Massa vinha em corrida de recuperação contando com o bom desempenho de seu carro, o que lhe permitia algumas ultrapassagens. Ao se encontrar com o seu desafeto (dentro das pistas) David Coulthard ele tomou a trajetória de dentro da curva aproveitando espaço deixado pelo escocês e pôs de lado para a direita.

- Para não perder a trajetória da segunda perna, para a esquerda, David resolveu fechar o espaço quando Felipe já havia praticamente conquistado a posição. O resultado é que sua roda traseira direita encostou na dianteira esquerda do brasileiro e Coulthard decolou abandonando a prova com o carro destruído. Acidente de corrida causado pela afobação de David Coulthard. A rivalidade entre os dois chegou a tal ponto, depois de alguns incidentes cometidos pelos dois, que sempre que se encontrarem na pista algo parecido deve acontecer. Um não vende posição para o outro tão barato. Coulthard criticou Massa e o brasileiro pediu queo escocês assistisse o lance mais uma vez na televisão.

- Neste momento apareceu uma das surpresas da prova, o francês Sebastien Bourdeis da Toro Rosso, que teve a sorte de parar no momento certo, ele estava dentro dos boxes quando o SC foi acionado. Na sequência Kubica, Alonso, Nakajima e Glock fizeram suas paradas, sendo que passaram a ocupar as últimas colocações. Raikkonen, que pararia antes do SC preferiu não fazer a troca e reabastecimento.

Pista limpa:

- 30ª volta do GP da Austrália e o Safety Car deixa a pista e logo na relargada o afoito Kimi Raikkonen escaoa da pista na tentativa de ultrapassar o compatriota Kovalainen em disputa pela segunda posição. O próprio campeão do mundo assumiu que exagerou no lance e teve de parar na volta seguinte caindo para último, 11º com o abandono de Sato. Logo atrás de Barrichello, em um constante sexto lugar, Massa (7º) e Piquet (8º) abandonam a prova por problemas mecânicos.

- Na volta 42 mais um erro de Kimi Raikkonen. Na tentativa de conquistar a posição de Timo Glock ele pisou comduas rodas na grama e mais uma vez viu o mundo girar ao contrário. Como era o último colocado o máximoq ue aconteceu foi perder algum tempo.

Terceiro Safety Car:

- O alemão Timo Glock da Toyota ocupava a zona de pontos quando escapou da pista no mesmo trecho onde Robert Kubica havia escapado no sábado. Porém, Timo achou um "morrinho" na grama (similar ao que Gualter Salles encontrou em Buenos Aires em 2006 na Stock Car) que serviu de trampolim para que ele decolasse e batesse forte destruindo seu carro. Tudo bem com o piloto, mais uma vez o Safety Car entrou.

- O primeiro movimento da nova entrada foi de Rubens Barrichello, que entro nos boxes com bandeira vermelha para fazer seu reabastecimento. Segundo a Honda, o risco foi necessário pois não havua mais combustível suficiente para que ele completasse a prova. Antes mesmo de "terminar o serviço", o mecânico responsável pelo pit autorizou a saída de Rubens que acabou puxando consigo um mecânico e por pouco não levando a mangueira de reabastecimento junto. Sem culpa, o piloto ainda saiu dos boxes com luz vermelha. Pela primeira falta ele levou um Stop and Go de 10 segundos mas, após a prova, ele foi excluído pela direção pela segunda infração.

- Seu resultado final seria o sexto lugar em uma bela prova da Honda. Pouco chateado, Rubens usa de alento o bom desempenho do novo carro da equipe japonesa. O pódio era possível, infelizmente nada deu certo para ele neste pit.

- Ainda antes da saída do SC, Robert Kubica foi abalroado por trás pelo japonês Kazuki Nakajima. O polonês abandonou e Kazuki teve de trocar o bico, sendo que ele ainda foi penalizado pela direção de prova e perderá 10 posições no grid de largada para o Grande Prêmio da Malásia.

O fim de prova:

- A 48ª volta marcou a última relargada da prova. Um final de corrida muito bonito mas triste para alguns pilotos. Além da punição de Barrichello, na volta 54 o finlandês Kimi Raikkonen abandonou a disputa com problemas de motor, similares ao de Massa provavelmente. Na 55 Sebastien Bourdais, andando em quarto lugar, mais veloz que Alonso e Kovalainen, que disputavam posição, também teve problemas de motor e saiu da prova. O detalhe curioso é que seu motor também é um Ferrari.

- Com apenas 7 carros na prova Heikki Kovalainen pressionava Fernando Alonso na disputa pela 4ª colocação e na volta 57, a penúltima, ele conseguiu uma bela ultrapassagem que acabou sendo devolvida na abertura da última volta após o finlandês acionar o limitador de velocidade acidentalmente em plena reta dos boxes.

- Por fim, os únicos pilotos que viveram um GP tranquilo cruzaram a linha de chegada nas três primeiras posições, Hamilton, Heidfeld e Rosberg, sendo que os dois primeiros foram protagonistas de um efusivo abraço ao final da prova.

Conclusão:

- Uma prova onde os pilotos mostraram que ainda levarão algum tempo para se adaptarem à ausência do controle de tração. Eles muito testaram mas ainda não obtiveram os cacoetes de prova. Massa e Raikkonen em seus erros deixaram isso bem claro, bem como outros pilotos.

- Este foi também o Grande Prêmio da Austrália mais quente da história e alguns motores não aguentaram, deixando pilotos na mão. No mais, as estratégias poderiam ter sido um pouco mais ousadas pois, desde o início, percebia-se que a prova seria movimentada e o SC seria acionado por muitas vezes, o novo e belo Safety Car por sinal.

- A McLaren larga muito à frente no mundial de construtores mas uma vez e Hamilton obtém uma excelente vantagem com relação à seus dois concorrentes pois seus 10 pontos contra 1 de Raikkonen e 0 de Massa o deixam em situação confortável podendo administrar o campeonato desde já.

- Após a prova todos os presentes puderam conferir um show do Kiss, para deleite dos roqueiros de plantão. Muita gente que conheço queria estar lá.

Grande Prêmio da Austrália - 2008
Pos  Piloto      Equipe             Tempo
1. Hamilton McLaren-Mercedes 1h34:50.616
2. Heidfeld BMW Sauber + 5.478
3. Rosberg Williams-Toyota + 8.163
4. Alonso Renault + 17.181
5. Kovalainen McLaren-Mercedes + 18.014
6. Barrichello Honda + 52.453
7. Nakajima Williams-Toyota + 1 lap
8. Bourdais Toro Rosso-Ferrari + 2 laps
9. Raikkonen Ferrari + 3 laps

Melhor volta: Kovalainen, 1:27.418

Não classificados:

Piloto Equipe Volta

Kubica BMW Sauber 50
Glock Toyota 44
Sato Super Aguri-Honda 33
Piquet Renault 31
Massa Ferrari 30
Coulthard Red Bull-Renault 26
Trulli Toyota 20
Sutil Force India-Ferrari 9
Webber Red Bull-Renault 1
Button Honda 1
Davidson Super Aguri-Honda 1
Vettel Toro Rosso-Ferrari 1
Fisichella Force India-Ferrari 1
Barrichello Honda Desc.

2 comentários:

Marcos Lauro disse...

Um Massa afobado, a ponto de rodar sozinho logo no início da prova e nem chegar no final, e um Rubinho seguro, old school, que só não pontuou por causa da "maravilha" de equipe da qual faz parte. Será que até isso vai inverter em relação ao ano passado?

Ron Groo disse...

É, era mais ou menos isto que a gente queria. Só que em vez de brigar com a pista e com os carros nós queriamos a briga na pista e entre os carros. Mas foi bom...
E que pena mesmo não? Rubinho merecia melhor sorte e até um podio, afinal foi dos poucos que não sentiram falta do tal controle de tração...
Valeu Carlos, eu fiz dois posts sobre a corrida, mas nem um informa tão bem...