12/14/2007

Quem se deu bem?

Quatro pilotos... três mudanças... quatro dúvidas...


- Hoje a McLaren acertou a contratação do finlandês Heikki Kovalainen para companheiro de Lewis Hamilton na temporada 2008. Assim de desfazem as grandes dúvidas da Fórmula-1 para o ano que vem: Alonso na Renault e Kovalainen na McLaren. Sem espantos.

- Assim temos quatro pilotos envolvidos nessas duas equipes, sendo três mudanças: Alonso sai da McLaren e vai para a Renault, Kovalainen faz o caminho inverso e Nelsinho Piquet deixa a posição de pilotos de testes para assumir o posto de titular. Hamilton está como fica... ou não!!!

- Os quatro agora sucitam grandes dúvidas para a próxima temporada pois a McLaren é uma equipe mergulhada em problemas desde o desfecho do caso de espionagem e passa a não ter pilotos para desenvolver seu carro em pista. Já a Renault, conta com o espetacular Fernando Alonso mas vem de um ano muito complicado onde não pôde dar um bom carro à nenhum de seus dois pilotos.

Vamos às mudanças:

Fernando Alonso:

- Sai de uma equipe completamente estruturada que o possibilitou disputar o título até a última etapa do ano, perdendo por apenas 1 ponto, para uma que teve inúmeros problemas durante a temporada com Fisichella e Kovalainen. De qualquer forma não se pode esquecer que ele foi bicampeão exatamente pela Renault.

- Ele sabe trabalhar com Flavio Briatore e também terá a tranquilidade necessária para fazer do carro francês novamente um bólido vencedor. Os 7 décimos que ele se diz capaz de levar à qualquer equipe irão fazer muito bem ao time.

Lewis Hamilton:

- Fica como está. Ou não. Ganhou com a saída de Alonso um status indispensável de número da equipe inglesa. Mesmo com Kovalainen jurando que não será segundo piloto de ninguém.

- Em contrapartida a saída de Alonso tira de Hamilton o referencial para acerto do carro. Pode parecer à primeira vista uma grande balela, mas hoje não se sabe até mesmo quem é que será o reponsável por fazer o projeto evoluir. A própria McLaren já anunciou que não desenvolverá determinadas partes do carro após o escândalo em que se envolveu com a Ferrari e com tanta restrição nos testes, nem De La Rosa poderá ajudar muito.

- E o pior, será cobrado como primeiro piloto e pode se tornar a frustração do ano.

Nelsinho Piquet:

- Independente do nível que a Renault se encontrar em 2008 ele já se deu bem, sai de uma posição de piloto de testes para uma valorizada condição de piloto titular. Como é seu primeiro ano não haverá problema algum se classificar-se atrás de Fernando Alonso, é necessário apenas que não provoque muita expectativa caso não tenha certeza de que é capaz de cumprí-la, algo que Hamilton deveria ter feito.

- Nelsinho precisa fazer apenas uma grande corrida e chegar algumas vezes na frente de Alonso em treinos e o resto o destino se encarrega de fazer, afinal, tem nome e sobrenome de campeão. E um pouco da marra do pai também. Será uma das atrações do ano, em especial se o gerador de caracteres da televisão expor como seu nome apenas "Nelson Piquet".

Heikki Kovalainen:

- A chance de sua vida. Depois de um ano ruim na Renault, onde por sinal foi muito cobrado quando à seu desempenho, Kovalainen ganha uma chance de continuar a trabalhar em uma equipe grande. Será seu segundo ano na Fórmula-1, o segundo por uma equipe diferente e as duas equipes são grandes. Não me lembro de um novato que tenha conseguido tal proeza.

- Kovalainen não será cobrado por muitos. Tem nas mãos um carro que, se não for o melhor da temporada é certo que será um bom carro. Pode andar de igual para igual contra Lewis Hamilton, ou seja, se perder foi para a sensação da última temporada e se vencer receberá os louros de ter passado por cima do inglês. Existe a possibilidade de usar isso psicologicamente à seu favor. Ele não será campeão do mundo e nem sequer passará perto disso, mas uma boa temporada o credenciará como um dos grandes pilotos da nova geração, definitivamente. O mundo inteiro acha que ele será segundo piloto, mas se surpreender...

Resumindo:

- Para mim quem se deu bem foi Heikki e Nelsinho, que saem de posições ruins para locais onde podem mostrar mais potencial. Lewis e Alonso, depois de tanto brigarem entre si, deverão viver uma temporada difícil. Daqui um ano eu volto e vamos ver quanta besteira eu escrevi aqui.

3 comentários:

Blog F1 Grand Prix disse...

Concordo com você, Garcia: as mudanças foram melhores para Nelsinho e Kovalainen do que para Hamilton e Alonso. Na McLaren, acho que a disputa deve ser equilibrada. O Hamilton provavelmente vai sair em vantagem no início do ano, mas o Kovalainen já mostrou que tem poder de reação. Na Renault, o Alonso é o grande favorito, e deve ganhar mesmo do Nelsinho. Nesse momento, porém, acredito que o mais importante para o Nelsinho não é bater o espanhol, mas conquistar um espaço dentro da equipe. Quando o Alonso sair - o que tem tudo para acontecer em um, dois ou três anos - o Nelsinho precisa assumir a liderança da Renault...

Grande abraço!

Gustavo Coelho

Felipe Maciel disse...

Relaxa, acho que você escreveu poucas besteiras ;)

Ron Groo disse...

Acho que o Kovaleinen vai se dar melhor que o Nelsinho...
Pro Nelson, que vai correr do lado da maior Prima dona da f1 vai ser dificil. Mas o Kova não.. Vai correr do lado do Lewis, que vai ter a pressão de provar que ele era mesmo bom na primeira temporada... Olha... vai ser legal.
Passa pelo boteco lá, se tiver tempo.