5/26/2008

Ninguém acredita

Raikkonen joga fora vantagem no mundial...


- Quem acompanha o "Mundo Veloz" deve se lembrar do texto "Dois pra lá, dois pra cá", que escrevi para o "F1 Mania", caso não se lembra clique aqui. Nele eu falava sobre a enorme vantagem que o finlandês Kimi Raikkonen tinha no mundial 2008 pois naquele momento ele tinha 9 pontos de vantagem para o vice-líder Lewis Hamilton. Eu dizia que seria fácil para ele administrar a vantegem pois a vantagem do vencedor para o segundo colocado é de apenas 2 pontos e isso tirava do "Homem de Gelo" a obrigação de vencer.

- Pois bem, 3 corridas se passaram - Espanha, Turquia e Mônaco - e ele fez questão de jogar por terra minha tese tão caprichada, usada para a estréia no site. Hoje Lewis Hamilton é o novo líder do mundial com 38 pontos, 3 a mais que ele. Para piorar ainda mais sua situação, Felipe Massa está em ascensão no mundial e apenas 1 ponto atrás de seu companheiro de equipe.

- E por que isso aconteceu? Porque Raikkonen fez tudo que não poderia. Claro que ele não tem culpa na punição que sofreu, mas não havia porque andar tão forte no final da prova de ontem. O acidente foi um pouco estranho, mas já com a saída do Safety Car da pista ele veio balançando o carro e escapando de traseira na tentativa de ganhar a posição de Adrian Sutil. E mais que isso, não se faz ninguém chorar. O mundo teve pena do alemão, que teve de abandonar prova por conta do erro de Kimi.

Hamilton:

- Providencial o resultado para ele pois a partir de agora a situação da McLaren ficará extremamente difícil. Poucas pistas se adaptam tão bem ao carro que ele guia. Ele pôde pelo menos mostrar quão bom piloto ele é e também garantiu uma folga de pontos que o permitirá aproveitar eventuais bobagens que possam fazer seus concorrentes Raikkonen e Massa.

Indy:

- A vitória de Scott Dixon ontem no superoval foi mais do que merecida e, fato raro, não foi decidida na estratégia não. Durante a prova ele sofreu forte pressão de Tony Kanaan, Vitor Meira e Marco Andretti, que se alternaram no combate. Mas, por ter sido o único a estar sempre à frente, mereceu o prêmio milionário dado ao vencedor da tradicional prova.

- Excelente o resultado de Vitor Meira também, super combativo no final e que por uma bandeira amarela não consegue bater Dixon.

- A nota triste vai para a transmissão. É uma tremenda falta de ética da minha parte fazer este comentário, mas após o abandono de Tony Kanaan ficou difícil de aturar. O tempo todo o narrador Luciano do Valle tentou empurrar goela abaixo dos espectadores que Vitor Meira e Helio Castroneves eram os pilotos que mais tinham chances de vencer. Acho importante dar destaque aos pilotos brasileiros, mas sem distorcer a realidade.

1 comentários:

Ron Groo disse...

Eu acredito e até ja esperava.