4/05/2009

Muito brilho, pouca luz

Mais uma vez Button vence, mas leva só metade dos pontos...


- É incrível o desempenho da Brawn GP em alguns aspectos: 2 vitórias em duas corridas, o que nunca havia acontecido (excluindo Alfa Romeo em 1950, quando todas as equipes estreavam em um mundial), capacidade incrível de adaptabilidade às dificuldades e um piloto extremamente motivado a derrubar seus adversários enquanto as equipes rivais não desenvolvem seus modelos.

- O Grande Prêmio da Malásia foi o retrato da arrogância da FOM, que detém os direitos comerciais da Fórmula-1. De tudo fizeram para que os malaios aceitassem correr sob luz artificial em um GP noturno e, ao não conseguir, resolveu marcar a prova em um horário completamente inconcebível, 5 da tarde, sob alto risco de fortes chuvas e também de serem atingidos pela falta de luz natural.

- Não deu outra, o fã da Fórmula-1 ficou sem acompanhar as 23 voltas finais da prova pois, após um verdadeiro dilúvio, a corrida teve de ser interrompida pois os pilotos não conseguiam atingir sequer o desempenho do Safety Car na pista. Após exatos 46 minutos, om incrível falta de agilidade para tomar decisões, a corrida foi dada como terminada de vez.

- O ocorrido foi as 18:06hs locais, 07:06hs de Brasília), a partir daí ficou a dúvida. Carros parados, parcialmente cobertos, pilotos mantendo-se aquecidos, exceto Kimi Raikkonen, que apareceu já de bermuda, timando sorvete e uma Coca Cola (ou seria Cuba Libre), será que a corrida voltaria a acontecer? Enquanto isso a não surpreendente falta de luz natural foi tomando conta do circuito malaio. Somente as 18:52hs locais foi feito o anúncio de que o Grande Prêmio da Malásia havia sido encerrado faltando 9 voltas para que o número mínimo de 75% houvesse sido atingido. Esse é o motivo que fez com que os pilotos levassem apenas metade dos pontos.

- O mundo inteiro sabia o risco de se fazer uma prova naquele local e naquele horário. A FIA e a FOM deram de ombros e bateram o pé e insistiram no que haviam marcado anteriormente.

- Essa atitude foi tomada para garantir a audiência no solo europeu. Será que eles gostam tanto assim de Fórmula-1 que não são capazes de acordar de madrugada? Assim sendo merecem essa atenção? Ou foi a própria Fórmula-1 que perdeu seus atrativos em especial para aquele público?

- Tudo que eu sei é que aqui no Brasil nós acordamos as 6 da manhã e gostaríamos de ter visto a prova inteira.

3 comentários:

NENO (Victor Berto) disse...

Corrigindo a informação, o acordo foi apenas com a Austrália e Malásia.

Na China a corrida será às 04h (Brasília)/ 15h (local).

Carlos Garcia disse...

Corrigido, ahahaha... lapsos da mente, kkk... valeu!!

Guga disse...

O ruinzinho também é ruim de saída do pit.Isso porque ele pediu chuva antes da corrida. Só o Galvão que acha que rubinho tem "habilidades" na chuva. O Ross é campeão na estratégia: Escolheu um piloto bom (Button) e um que aceita ser escudeiro e segundão sempre e que não vai infernizar o piloto principal. É o rubinho...